Blog series which features the talents of the studio, the ones who compose our pulsating atmosphere;

Golden Coins: Pamella Pesarelli, 3D artist.

OI #GoldenCoins shows our 3D Artist Pamella Pesareli and her adventures around the 3D world.

Prata da Casa: James Brelaz, el Motion Designer

#GoldenCoins comes in this glory Monday to shake a little bit of your life. Today we talk about our precious James Brelaz, the Motion Designer that always has a hidden trick and know all the questions we may have about anything. (specially softwares!) Brelax, Breláz, Brêlaz. How long are you here at Cafundó and what […]

#PratadaCasa 4: Giovanni Girardi, Ilustrador.

Let’s discober the other golden coins of the yellow house?? Today we’re gonna talk about the main front of Illustration in Cafundó: Giovanni Girardi. It’s an old buddy we have since 2010, and so on he has engalarged our borders and gave a special shine to our work. Just about he got here, he joined […]

#PratadaCasa 03 – Roland Roderjan

strong>#GoldenCoinathe 3rd has arrived! We are going to talk about out rcreative resources inside the studio. Today is a special date for designers in Brazil so let’s talk about our Art Web director. He whom has, besides some other stories, is a graduated designer from UFPR – city of Curitiba.. Roland Roderjan is the guy […]

#Pratadacasa 02: Douglas da Silva

If you haven’t seen our #GoldenCoin01, this is a special moment where  Cafundó is revealing to the world the talented ones that make our team shine abroud.. Now #GoldenCoins 2nd edition is gonna talk about a boy who came here to let everything work fine. This guy programmed this blog: if everything works, he is […]

Prata da Casa #1 – Felipe Fox

Cafundó is gonna to share its #GoldenCoins: the brave heros who passed through our trembling selection, slaying dragons and Léo-ns so they could seat at ease in a throne of the Yellow House. Ok, maybe not. But they are our precious creative resources that are able to transform fabulous ideas into reality. The one who […]

The last news of our creative lab.

SIMPLE SCORE

Get to know the app that will help you sum points to your games.

Calendário 2014

Como você gostaria de se retratar em 2014?

HEART ATTACK!

We should always be very cautious about our healthy, specially about heart attacks.

Pílula 01: Moustache Fever

O bonde do Mr. Biggous trazendo alegria para a sua vida.

O SUMIÇO DO GALO

Num ato repentino, nosso companheiro Galo Inácio deu no pé e descabelou todo mundo por aqui. Onde ele se meteu?!

Manifesto Social

Arranjamos um jeito de lidar com todas as notícias das manifestações. Acompanhe o feed de jornais e redes sociais ao mesmo tempo.
Join our saga in producing an animated short film.


Existem coisas piores

Our Stuff / posted by in 17 Feb of 2011

Esse video é o culpado por esse post, primeiro tirem um tempinho e depois continuamos a conversa.

Louis C.K. (o cara da entrevista) é um comediante que nunca estudou marketing. Pra falar a verdade, ele foi mecânico antes de ser comediante. Mas, sem querer, acabou criando um conteúdo perfeito para analisarmos como empresas pensam sobre marketing digital. Você pode estar se perguntando “o que esse maluco tá dizendo? O cara tá falando de outra coisa!”, mas calma, vamos dissecar esse vídeo e deixar tudo mais claro.

Comecemos pela parte onde ele fala do telefone. Eu me lembro muito claramente do modelo que ele citou, quando era criança até me divertia girando aquilo, mesmo que não fosse ligar pra ninguém, mas, tenho que admitir, números de telefone com zero irritavam muito, principalmente quando se estava com pressa. E o marketing também era assim.

A empresa colocava um anúncio na TV, em vários casos aqueles 30 segundos do anúncio demoravam e irritavam mais que o zero do telefone, e o espectador (segundo o wikitionary é aquele que assiste ou testemunha; observador) só queria que aquilo terminasse para que pudesse assistir o seu programa. Tanto no caso da TV quanto no do telefone, se não tivesse ninguém em casa, o aparelho ficava “tocando” sozinho, o que para uma empresa significa perder dinheiro.

elvis on blue phone

Elvis tranquilão batendo um papo com as queridas

Hoje em dia temos aparelhos de telefone muito melhores e formatos de marketing também. Esses aparelhos agora não têm mais fio e vão com você para todos os lugares. Se alguém te ligar, você pode escolher falar com essa pessoa depois, mas o importante é que o dono do telefone jamais perderá uma chamada. Isso é atingir 100% da audiência programada, nenhum telefone de “disco” jamais conseguiu isso.

Ok, agora sim, o mais importante: a parte dos aviões e dos aeroportos. Nada nesse vídeo está mais próximo do comportamento empresarial em relação ao marketing digital. Normalmente as empresas focam nos problemas, nas dificuldades e, principalmente, no que elas não conhecem e as fazem sentir inseguras. Após uma reunião sobre como a inserção da marca na web pode trazer resultados para a empresa, cansei de ouvir clientes e prospects dizerem “mas vou ter que contratar alguém só para cuidar disso?” ou melhor “mas vão falar mal da minha marca”. O que eles não conseguem perceber é que, mesmo que eles não estejam na web, alguém vai falar da marca e, nesse caso, o mais importante é estar participando da conversa.

No entanto, todos esses problemas, quando bem analisados, podem ser positivos. No caso de um comentário ruim, pode-se encarar como uma dica para melhoria de um produto ou serviço. Ou seja, a marca acabou de ter um feedback sem ter que pagar uma pesquisa – adeus focus group!

A questão é perceber os benefícios do marketing digital e saber que o retorno não vem somente no aumento das vendas, mas também na redução de custo de outras áreas, como pesquisas, desenvolvimento de novos produtos ou serviços, SAC telefônico e share of heart. O principal nesses casos é notar que quando o copo parece estar meio vazio, na verdade ele está meio cheio.

[fbcomments]